Sábado, 7 de Maio de 2005

O Grito Atlântico

S.VICENTE (MAR) 014.jpg -revolto.jpg 


Sou assim...


Sou o Oceano Atlântico: umas vezes calmo e azul;outras revolto e escuro.


Um mar desesperado, que grita...grita cóleras súbitas


E ponho o teu coração em sobressalto.


Quando o meu mar embravece e o meu grito ritomba como um estrondo,


há sempre alguém que se aguenta ao leme!!!


Eu sei...desculpa!


O meu mar é o dos ciclones que vai caminhando


até nascer, de repente, um dia sereno, calmo e de sol.


Eu sei...desculpa!


O coração do meu mar é um turbilhão de emoções...e tu és o meu marinheiro!!


                                                         G.A. (biga)

publicado por biga às 13:36
link do post | comentar | favorito
|
19 comentários:
De Anónimo a 29 de Maio de 2005 às 22:15
Bonitas Palavras
:)
***isabel
(http://gostodetiporquegosto.blogs.sapo.pt)
(mailto:isabellucio@sapo.pt)
De Anónimo a 21 de Maio de 2005 às 17:51
Este parece para mim Biga...marinheiro e tal...lol...vou po-lo no meu blog,ta?como homenagem a ti...Marisa
</a>
(mailto:marisa.moreno@sapo.pt)
De Anónimo a 14 de Maio de 2005 às 11:50
Olá!Revi-me nas tuas palavras, porque tantas vezes o sou assim, as vezes é mais forte que nós, ficamos como o mar revolto e acabamos fazendo estragos, mas temos momentos de calmia e serenidade!
Beijinhos!Belo texto!sandra
(http://poetisasonhadora.blogs.sapo.pt)
(mailto:poetisasonhadora@hotmail.com)
De Anónimo a 11 de Maio de 2005 às 22:58
Eu voo, tu navegas, nas mesmas ondas, no mesmo mar revolto e tao manso ao mesmo tempo...gaivotadaria
(http://GaivotadaRia.blogs.sapo.pt)
(mailto:bgaivota@sapo.pt)
De Anónimo a 11 de Maio de 2005 às 13:18
O mar tem as suas próprias leis, mas ainda bem que há marinheiros que se aventuram e nele navegam sem medos, receios e cheios de esperança de alcançar um porto seguro!Muitas vezes sou como o mar,felizmente encontrei marinheiro que se aventurou e agora navegamos juntos na onda perfeita e construimos os nossos sonhos,beijocas ***Hasi
(http://entre2mundos.blogs.sapo.pt)
(mailto:hasilein@sapo.pt)
De Anónimo a 11 de Maio de 2005 às 12:55
Perante os teus poemas, sinto-me como um marinheiro em terra, observando a grandeza e a beleza do mar por onde navega e porque está nele envolvido não se apercebe da sua dimensão. BeiJOCAJOCA
</a>
(mailto:jcarlos.almeida@bca.pt)
De Anónimo a 10 de Maio de 2005 às 18:32
Agradeço desde já a visita ao meu espaço Biga, o seu comentário foi feito num artigo de uma colaboradora amiga que é Brasileira, caso ela não retribua a visita cá estou eu! E gostei do que vi, excelente post, poema e imagem geniais! Apareça sempre, eu tb espero vir mais vezes:)...Beijos...Carlos.Carlos Afonso
(http://carlosacafonso.blogs.sapo.pt)
(mailto:carlosacafonso@hotmail.com)
De Anónimo a 10 de Maio de 2005 às 03:05
Uau, Biga :) Em turbilhão fiquei eu :) Desde que haja sempre alguém a aguentar o leme, é justo que se deixe o mar passar por todas as fases a que tem direito :) Beijo grande! :)Carla
(http://papoilasdoces.blogs.sapo.pt)
(mailto:cferreirapedro@sapo.pt)
De Anónimo a 9 de Maio de 2005 às 19:28
E durante todo esse turbilhão o marinheiro continuará a navegar no teu mar de forma a sempre no teu coração ficar :) Bonito ;) ****** beijosCaMiLiNhA
(http://simplesmentepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:lipaxana@sapo.pt)
De Anónimo a 8 de Maio de 2005 às 22:53
Biga...estás numa Ilha que adoro...se não puder morrer no Brasil...então mais original seria acabar aí os meus dias...falei do Brasil por causa do Jorge Amado...só isso...põe aqui o teu blog como fiz no teu...assim os nossos amigos vão trocando ideisa...que achas???Marisa
</a>
(mailto:marisa.moreno@sapo.pt)

Comentar post